Historicamente a educação no Brasil sofre

A educação no Brasil é marcada por números impressionantes. O país tem 197.500 escolas públicas e privadas que oferecem desde a pré-escola até aos últimos anos grau do ensino secundário; 52,6 milhões de estudantes e 2 milhões de professores no ensino básico; e 2.300 estabelecimentos de Ensino Superior.

O Brasil também possui o maior programa de refeições para escolas públicas do mundo, que fornece assistência a aproximadamente 47 milhões de estudantes em 2010. Pai também executa o maior programa de distribuição de livros livres, que oferece cerca de 115 milhões de publicações por ano.

Números tão impressionantes são o resultado de um esforço histórico para alcançar uma educação universal de qualidade, atualmente financiado por 5% do Produto Interno Bruto do Brasil. No entanto, uma revisão da história da educação no mundo mostra que este é um processo recente. Começou em 1930, quando o então presidente Getúlio Vargas criou o Ministério da Saúde e Educação.

enter image description here

Ate em seguida, a educação foi sub-sistematizada e restrita a um pequeno elite. A regulação da educação no Brasil, até então inchoate, a partir do estabelecimento de um ministério totalmente dedicado ao tema, em um tempo em que as grandes indústrias estavam sendo estabelecidas no país e o o mercado interno estava experimentando uma forte expansão.

Os primeiros decretos presidenciais previam as estruturas iniciais de ensino secundário e superior. A segunda constituição republicana de 1934 representou um dos mais notáveis avanços históricos em educação no Brasil, afirmando que " a educação é um direito de todos e será fornecido pela família e pelo Estado."Os anos seguintes testemunharam o criação de grandes universidades como a Universidade de São Paulo (USP).

Em 1953, o Ministério da educação tornou-se independente do Ministério de saúde. As décadas de 1950 e 1960 foram marcadas pela expansão e melhoria do ensino profissional, do ensino secundário e do ensino superior.

Em nessa altura, o ensino primário era gratuito e proporcionado pelo Estado, embora insuficiente para satisfazer a procura então existente. Novas metodologias de ensino ganharam terreno em todo o país. Para por exemplo, o método de alfabetização do professor Paulo Freire foi adotado como um público política em 1961. Durante o regime militar (1964-1985), os modelos educativos utilizados até então foram abandonados.

Durante esse período, A ênfase educação no Brasil foi em formação profissional. A Constituição de 1988 foi o marco mais importante para a educação no Brasil desde a década de 1930, na medida em que garante educação de qualidade para todos como um dever do estado e em igualdade de acesso e condições de permanência. Assim, estudantes de todas as origens, credos, os géneros e as etnias tinham acesso garantido à educação pública.

O lema" Educação para todos", que foi massivamente divulgado e teve uma forte repercussão mundial após a Conferência Mundial sobre Educação para todos realizada em Jotim (Tailândia) em 1990, também foi implementada com maior ênfase no Brasil, especialmente depois de 1994.